Impaciência

Irritabilidade

Indisposição

Junte tudo ou se manifeste com uma pequena porcentagem de algumas dessas qualidades citadas acima e tenha um dia bem longo pela frente.

Claro que existem pessoas com diferentes graus de tolerância e com diferentes maneiras de lidar com esse tipo de situação, mas se existe uma coisa que é inevitavelmente contagiante, é MAU HUMOR.

Você acorda, só acorda, e já sai distribuindo doçuras pro travesseiro. Lava seu rosto e comemora pro espelho a água fria de manhã, tropeça no degrau da escada e solta uma penca de flores, queima a boca com seu café quente e libera seu mais encantador sussurro. Mas na verdade, o que voce realemnte anceia é encontrar seus companheiros de trabalho, seus “amigos” (sim, porque nessa hora você os considerará “amissíssimos” para tanto) para despejar ou no mínimo dividir com eles toda essa sua alegria de viver!

(…)

Eu nunca fui de levar as coisas muito a sério. …Mentira! Na verdade aprendi agora desconsiderar e não dar atenção pra muita coisa, mas tem vezes que a coisa passa da linha de segurança, e é preciso  fazer uma exclamação como essa aqui para recolocar as coisas no eixo.

Se tem algo que não suporto é estupidez. Estupidez é tudo aquilo que não cabe em lugar nenhum e você enfia na primeira oportunidade que têm como forma de dar o troco do que não existe. É desnecessária, exagerada, arrogante e sempre, sempre acaba machucando alguém.

Tá. Nossa vida é uma loucura. É isso que me diz, não é? Correria, compromissos, obrigações, horários… tá. E ai? Até onde isso equivale seu humor? Até onde isso compromete seu estado de espirito?  E pior ainda, ate onde vai culpá-la (a dura vida que se tem) por isso?

As pessoas da nossa vida fazem parte dela em mais ou menos grandeza porque assim permitimos e com o pedaço que disponibilizamos. Isso não as deixa de todo como integrantes dela, mas se fomos nós que as escolhemos, porque não ter o mínimo de cuidado?

O negócio acontece quase como um empurrão, sabe? Você chega com velocidade, abre caminho e dá um empurrão com intenção de assustar e intimidar. Sem perguntar pra esses semi-proprietários do seu convívio se estão afim de tomar do doce que você tomou, você vai lá e da de graça mesmo! Entende-se isso como um incrivel poder de solidariedade? Não! Como pobreza de senso, ou descontrole, como preferir.

Então, previna-se! Sentindo o menor incômodo ou desassossego, desamarre os sapatos, afrouxe o cinto e respire fundo. Ninguém precisa engolir sapos ou aguentar desatinos. Mas os seus serão tão insuportaveis quanto! Por isso relaxe e viva com menos pânico. Pânico da obediência que criamos pra nós mesmos e, segure sua onda! Seja egoísta e respeite espaços delimitados por uma única linha: educação!

Não é fácil viver em sociedade mesmo, mas há de se fazer o que:? Normalmente é agente que porcura esse ambiente mesmo!… O grupo, a sociabilidade, o compartilhar idéias, a distribuição de tarefas. Mas, guarde o resto pra si! Os rancores com o mundo e os problemas inventados sáo pesados demais pra se arrastar até o prósimo pra quem você quer entregar. Dispense-os no caminho até lá.  E se, mesmo assim não conseguir, abra a porta do quintal e dê um grito bem grande. Lá, quem quiser se aproveitar dele como um estímulo pra dar uma sacudida no dia, vai caber direitnho e fará bem aos dentes! E aí o seu dia terá servido pra alguma coisa de fato!

“Preocupação (pré-ocupação) é igual mascar chiclete pra resolver uma equação de álgebra” – Pedro Bial, Filtro Solar

Do mais, tudo em paz!

Por enquanto, só (porque agora eu tenho acento no teclado! ufa)!

Um beijo e um grito na varanda!

Carol

P.S.: Ah! Parte bem pequena, mas parte signifiante e conclusiva desta obra, é de autoria de Pepê Mansano.

O “estímulo” a Pepe deu! rss

Anúncios